Enviando...

12.8k visualizações

Quarta, 10 de outubro de 2012 por Redação Boa Diversão

Os “baixos” favoritos da cidade

Listamos os seis "points" com maiores concentrações de bares do Rio

  • compartilhar

  • whatsapp Google+

Que o carioca gosta de um papo de bar, não é novidade. Os pés-sujos e pés-limpos do Rio de Janeiro se misturam em tradicionalismo, história e inovação. Seja num cenário perto da praia, no fervo da Lapa, ou nas praças movimentadas, o clima boêmio já está enraizado na cultura da cidade.

Listamos abaixo seis “points”, conhecidos como “baixos”, preferidos da galera que curte jogar conversa fora em uma mesa de bar.

Com diversos bares, a região do Baixo Barra é bem movimentada. Ao longo da avenida Olegário Maciel, casas como o Bar 399, o Jota Ó e o SporTV Point atraem todo o tipo de clientes para ver as lutas e jogos de futebol.

Na Praça Varnhagen, no Baixo Tijuca, as opções também são fartas. Casas como o Buxixo, o bar Opção na Brasa ou o Só Kana são típicos de reuniões de amigos para tomar um chope. Já aqueles que preferem petiscos diferenciados, uma boa alternativa é o Rota 66, com uma típica cozinha “tex-mex”.

A região do Baixo Gávea tem por tradição a vasta quantidade de clientes em pé. Sem muitas firulas, destaca-se o B.G. Bar, que oferece apenas o básico para quem quer apenas curtir uma noite de boteco com os amigos. Próximos estão ainda o Bar do Alemão, Braseiro da Gávea, Pe´ahi, entre outros.

Em Botafogo, a aglomeração fica na Voluntários da Pátria, próximo à Praia de Botafogo, e nas redondezas, com bares como o Shooters, especializado em drinques, Odorico, Colarinho.

No Baixo Leblon, as bebidas se juntam aos petiscos. Na Academia da Cachaça, a invenção brasileira tem destaque de maneira pura ou nos diversos drinques da casa. Para agradar o estômago, o Bar do Adão oferece cerca de 60 sabores de pastel, entre doces e salgados.

Discreto, mas não muito escondido, o Baixo Humaitá fica entre as ruas Capitão Salomão e Visconde de Caravelas. O destaque vai para a disputada varanda do bar O Plebeu. Já o Botequim Informal é frequentado pelos apreciadores de um “pé-limpo”, cujo cardápio oferece muitos petiscos. Descendo um pouco a rua, encontra-se o Meza bar e o doiZ, duas criações de Fabio Battistella, e também dono do Barzinho, mais novo empreendimento da Lapa.

  • compartilhar

  • whatsapp Google+
Google Maps
Notícias relacionadas » veja mais notícias
fotos e vídeos relacionados

Opinião dos usuários (0)

    top 5
    Mais recentes
    • Larissa Costa:

      Olá, a data foi divulgada errada, o show será no domingo, dia 23/10 e não no sábado!

      O link do evento no facebook:

      https://www.facebook.com/events/1179321258777815/

    • Flávio Cavicchiolli:

      Austria também!!!!

    • Rosana Correa:

      Bom demais!!!! Ótima pedida para o feriado!!!!

    • JP Silva:

      Muito bom!
      Recomendo!

    • ARYANE VERLY:

      Inicialmente gostaria de registrar que frequento o Reveillón neste quiosque desde 2011. Sempre adquiri meu ingresso com antecedência, pela experiência positiva experimentada em 2011. Porém, neste ano de 2015, ao comprar o ingresso, diretamente no quiosque, como sempre faço, fui informada pelo Sr. Breno, de que, o local que antes se chamava " Itaipava", agora estava sob nova administração, sendo o mesmo um dos proprietários. Nessa oportunidade, o Sr. Breno garantiu que a qualidade anterior seria mantida, inclusive, os aspectos relacionados à segurança, conforto, refeições e bebidas. Entretanto, o que ocorreu foi bem diferente. As bebidas não foram distribuídas conforme divulgado na venda, não tendo sido servido CAIPIROSKA, E SIM APENAS CAIPIRINHA, POIS SÓ HAVIA CACHAÇA. MUITAS PESSOAS PESSOAS FICARAM SEM MESA E SEM LUGAR PARA SENTAR-SE, O QUE É UM VERDADEIRO ABSURDO. A DISTRIBUIÇÃO DE ESPUMANTE FOI MUITO DIFERENTE DOS ANOS ANTERIORES, POIS SÓ FOI SERVIDA 1 GARRAFA DE ESPUMANTE PARA CADA 4 PESSOAS, ÀS 23:50 (DETALHE O ESPUMANTE ERA SALTON BRUT, QUE CUSTA EM MÉDIA R$ 25,00), E CADA CIDADÃO DESEMBOLSOU PELO MENOS R$ 600,00 PARA PASSAR POR ESSA SITUAÇÃO LAMENTÁVEL. PARA COMPLETAR TAMANHA NOITE DE DECEPÇÃO E FALTA DE RESPEITO COM OS CONSUMIDORES, A SEGURANÇA QUE ESTAVA MUITO AQUÉM DO QUANTITATIVO DOS ANOS ANTERIORES, NÃO CONSEGUIU PRESERVAR O ESPAÇO RESTRITO AOS PAGANTES, E OCORREU UMA INVASÃO EM MASSA, DE CERCA DE PELO MENOS 200 PESSOAS, CRIANDO UMA SITUAÇÃO DE DESESPERO E ALTO RISCO A TODOS OS FREQUENTADORES. É IMPORTANTE FRISAR, QUE NOS ANOS ANTERIORES TODOS OS COMPROMISSOS ASSUMIDOS PERANTE AOS CONSUMIDORES FORAM RESPEITADOS: EXISTIA VODKA PARA CAIPIROSKA, O ESPUMANTE ERA LIBERADO SEM RESTRIÇÃO, A SEGURANÇA PRESERVOU O ESPAÇO E A INTEGRIDADE DAS PESSOAS. ALIÁS, A SITUAÇÃO RELATIVA AO ESPUMANTE FOI MUITO ESTRANHA, POIS QUANDO QUESTIONEI O SR. SÉRGIO (GERENTE DO ESTABELECIMENTO) E O SR. BRENO, OS MESMOS ESTAVAM COBRANDO R$ 140,00 POR UMA GARRAFA DE ESPUMANTE (SALTON BRUT), MESMO CONSTANDO NO PACOTE QUE ESTA BEBIDA ESTARIA INCLUÍDA. AGUARDO CONTATO DE INTERESSADOS, QUE TAMBÉM SE SENTIRAM LESADOS, A FIM DE ESTUDAR MEDIDAS CABÍVEIS.

    • Beatriz Andrade:

      Comprei e não vou > http://www.compreienaovou.com.br/concert/7620-rockthemountainkiesza-itaipavarj